Chegamos até aqui pelas mãos honradas dos professores e continuaremos a caminhar

Um mulher negra que enfrentou a invisibilidade de uma época ainda mais cruel para o público feminino na política. Antonieta de Barros foi professora, lavadeira de roupas e filha de escrava em Santa Catarina. Feminista, cronista, escritora, Antonieta colocou uma sociedade racista e patriarcal na parede ao enfrentar o machismo e a opressão preconceituosa.

Apesar disso, deixou seu legado como educadora e legisladora. A data comemorativa do Dia dos Professores tem a sua marca. Foi um projeto de sua autoria que produziu a lei que criou o Dia do Professor e o feriado escolar nessa data (Lei Nº 145, de 12 de outubro de 1948), em Santa Catarina. A data seria oficializada no país inteiro somente 20 anos depois, em outubro de 1963, pelo presidente da República, João Goulart.

Essa história serve para ilustrar a luta que essa categoria passa desde os primórdios do processo educacional até os dias de hoje. Respeitados em outrora e violentados atualmente, os professores seguem sua saga de formar gerações de cidadãos e cidadãs, oportunizando conhecimento e compreensão social. A luta contra a idiotização e o emburrecimento coletivo tem sido árdua em clara disputa com conservadores que sonham com isso e travestem esse desejo com o nome de Escola Sem Partido.

O tempo das maçãs, canetas, abraços, beijos, carinho e reconhecimento social de pais e filhos quase acabou. Agressões de alunos, pancadas das polícias à serviço dos políticos, boletins de ocorrência, medo do crime organizado nos bairros e salários miseráveis que são recorrentes no serviço público fazem parte da rotina dos professores que resistem para ofertar oportunidades para crianças, jovens e adultos.

Continuaremos a sonhar com o respeito à figura emblemática do professor e a doce cena da professora recebendo seus pequenos na sala de aula. A sociedade evoluída tem esses profissionais como pilares do desenvolvimento. Seremos sempre entusiastas dessa profissão que marcou nossas vidas e permitiu que chegássemos até aqui com louvor.

Humberto Costa é professor e presidente da ASMS.